Resiliente: o ser humano elástico

20 junho, 2006 por Doufer

elasticNo estica e puxa do dia-a-dia profissional, está em vantagem competitiva quem muda, deforma, porém, retorna ao seu ser essencial

Por José Luiz Tejon

Resiliência, segundo o dicionário Aurélio, é “a propriedade pela qual a energia armazenada em um corpo deformado é devolvida quando cessa a tensão causadora de tal deformação elástica”. Muito bem, mas o que são os seres humanos “resilientes”? Como são essas pessoas e qual é a importância desse talento no diferencial competitivo de um profissional?

Para mim, é algo parecido com a capacidade que temos de voltar aos batimentos cardíacos normais depois de um esforço físico concentrado. Significa, por outro lado, termos a consciência de que, no exercício das nossas atividades, sempre viveremos situações “elásticas”, ou seja, de alto esforço armazenado e empregado em dados momentos vitais.

Como elásticos, o talento resiliente nos dá excelente capacidade de irmos aos extremos da ruptura e de retornarmos ao nosso eixo quando é suspensa a “tensão causadora”. Em outras palavras, não ficamos eternamente deformados, e, melhor ainda, não rompemos facilmente. Esticamos, mudamos, nos deformamos, porém, retornamos ao nosso ser essencial…

Continue lendo »

Ser empreendedor…

31 maio, 2006 por Doufer

empreendedorLí este título em algum lugar e pensei em escrever algo sobre o assunto mas revirando a internet, atrás de inspiração, reencontrei o artigo do Ricardo Magalhães e fiquei sem saber o que escrever. São meus 10 mandamentos na arte do Side Businnes!

Fragmento:

“Se você sonha em ter seu próprio negócio porque imagina que não terá que trabalhar como trabalha hoje, pense novamente…”

O artigo é um pouco antigo e nem encontrei o link do post original, por isso, aí vai a o link para texto completo no blog Business Opportunities Webblog Brasil que cita a fonte BizRevolution.

Fonte da imagem: www.desafios.org.br

Com mais e menos

25 maio, 2006 por Doufer

post-itSemana corrida essa, muita coisa nova acontecendo, no trampo, nos bicos de consutor e no ramo de webdesigner (de meia tigela). Estou confeccionando um site de uma academia e quando entregar tem o de uma LAN House pra começar então eu acabo deixando de implementar coisas no blog que estão na minha to Do list.

Tempus fugit! 🙁

Lista de Tarefas : Blog
Melhorias na publicidade do Blog
Deletar o Widget Plugin da Dreamhost
Colocar portfolio no ar
Artigo Google – Janio
Site acabemia
Implementação Ajax – Comments

A lista nem é lá essas coisas, mas tenho problema com anotações. Celular, caderno, agendas (WEB), Palm, post-It’s, blocos de anotações e papéis aleatórios sobre a mesa são um problema na organização do meu dia-a-dia, acabo descentralizando as idéias que deveriam estar em um único local que, pelo visto, ainda não elegí.

Muitas idéias para postar mas pouco tempo para bater com os dedos contra o teclado e sem organização as idéias se perdem e as notícias relevantes ficam velhas demais pra virar post. Nem mesmo a festa do final de semana em Minas foi compartilhada com vocês.

Postado ? s 2:00 da matina! Período livre de tarefas, bicos e mares de celulose sob a mesa! 😎

Estréia

22 maio, 2006 por Doufer

Este final de semana o amigo e sócio Carlos Henrique Jr ficou de postar por aqui mas por mancada minha ele ficou sem privilégios de post e sua estréia teve de ser adiada até ontem.

O Carlos está aproveitando o espaço para trocar idéias e postar um pouco do que gosta e faz: desenvolvimento. Não necessáriamente dicas e/ou tutoriais específicos mas conteúdo que de alguma maneira tenha relação direta aos profissionais da área. É o que aborda em seu primeiro artigo/post: Outsourcing de TI: Uma realidade!

Já já tem post sobre o final de semana merecido em Juiz de Fora-MG.

Outsourcing de TI: Uma realidade!

22 maio, 2006 por Doufer

Olá pessoal,

Estou aqui escrevendo meu primeiro artigo, e irei falar de algo que foi falado em minha faculdade e achei interessante. Resolvi colocar a disposição de vocês um resumo do trabalho que entreguei na faculdade.

Quem hoje na área de TI nunca ouviu falar em outsourcing?

Essa palavra tem sido muito utilizada como sinônimo de terceirização, ou seja, uma empresa está fazendo outsourcing quando delega para uma outra empresa a responsabilidade pela execução de suas atividades e processos internos.

Concentre-se no que faz melhor do que os rivais e entregue o restante a especialistas. Esta é a ideia-chave do outsourcing, um conceito cada vez mais popular entre as empresas. Originalmente o outsourcing era confundido com a simples subcontratação, circunscrevendo-se as atividades de baixo valor acrescentado e afastadas do negócio principal de cada empresa como os serviços limpeza, de segurança, o correio expresso, etc. O aumento da competitividade do mercado forçou as empresas a passarem a concentrar seus melhores recursos no seu negócio principal, criando oportunidades de outsourcing de actividades, funções e processos.

Quando se fala em outsourcing logo se pensa em redução de custos, os estudos feitos sobre o assunto dizem que em média, o outsourcing conduz a uma redução de custos de 9% e um aumento de produtividade de 15%. Porém seus benefícios não ficam por aí, existem muitas outras questões que levam as empresas a fazer um outsourcing, citarei algumas delas: Liberação de recursos para atividades criticas da empresa, melhora o foco da companhia, compartilhamento de riscos, transformação de custos fixos em variáveis, acelera os benefícios da reengenharia, desempenho de atividades.

Podemos citar outras vantagens do outsourcing além da vantagem financeira temos vantagens estratégicas, garantia de qualidade, segurança e continuidade operacional. Para muitas empresas o outsourcing é realmente muito vantajoso, usando este artifício as empresas não sobrecarregam seu quadro de funcionários e assim reduzindo as despesas com pessoal. Além disso, as despesas se tornam mais previsíveis e planejáveis, podendo assim distribuir melhor seus investimentos. As empresas também terão mais “tempo” para poder focar no negócio principal e deixar para a empresa contratada todas as ações e decisões relacionadas a TI. Os contratos de outsourcing de TI definem níveis de qualidade “SLAs” para os serviços que estão sendo prestados.

Os argumentos contra o outsourcing não incidem sobre o conceito e sim na forma como será utilizado. Citarei algumas das desvantagens: Perda do controle de execução da atividade e maior necessidade de controle, perda de confidencialidade, possibilidade de conflitos de interesse (quando a empresa contratada prestar os mesmos serviços a concorrentes), má qualidade dos serviços prestados e diminuição do nível da satisfação, perda de know-how, elevado custo de um eventual regresso ao desempenho interno das atividades.

É isso aí pessoal! Espero que tenham gostado do meu primeiro artigo.

Um abraço,
Carlos Henrique Jr